Homossexualidade: Resposta de Basu Ghosh Das ( ACBSP ) a SS Hridayananda Maharaj

Resposta de Basu Ghosh Das ( ACBSP ) a SS Hridayananda Maharaj

Basu Ghosh Das ( ACBSP ) é discípulo iniciado de A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada e presidente do templo de ISKCON Baroda, na Índia.

6 de Abril, Baroda, Índia.

Caro Hridayananda Maharaj, Yatibhyonamaha. Jaya Srila Prabhupada!

Recebi sua mensagem:

Caro Basu Ghosh Prabhu,

Jaya Srila Prabhupada. Obrigado por sua carta.

Bem, Maharaj, fico lisonjeado por você ter tido a graça de me agradecer! É um gesto muito gentil de sua parte, e é reconhecido com gratidão e altamente apreciado!

Eu fiz alguns sérios pontos hermenêuticos a respeito do estilo e natureza da pregação de Prabhupada e como isso se relaciona à ordem de Prabhupada de que baseemos nossas conclusões em guru, sadhu e shastra.

Maharaj, poderia pedí-lo para elaborar sobre estes pontos? ( pergunta retórica ).

Eu repetidas vezes esclareci que eu não sou a favor do casamento gay. Nós escutamos dos shastras, como o Manu samhita, o qual Prabhupada insistia que nós seguíssemos, a respeito do pecado da homossexualidade. Eu alego em meu controverso ensaio que heterossexualidade e homossexualidade NÃO estão no mesmo nível para a sociedade, e que a sociedade irá naturalmente privilegiar a heterossexualidade.

Aqui é onde eu estou confuso.

Você claramente diz que se opõe ao casamento gay, e ao pecado da homossexualidade.

E ainda assim, aqui estão afirmações feitas por você mesmo que claramente sugerem o contrário:

http://chakra.org/discussions/GenDec19_04.html

A monogamia homossexual é preferível à promiscuidade

por Hridayananda Dasa Goswami

postado em 19 de Dezembro de 2004

Em um recente ensaio que apareceu em Chakra, “Vaisnava Dharma é bastante liberal”, Amara prabhu levanta a seguinte questão:

O casamento gay é… tomado fora de um rígido sistema de varnasrama e da prescrição comum para a vida matrimonial, mas supomos que ele seja o melhor arranjo prático para sustentar a bhakti de alguma pessoa que seja exclusivamente homossexual e incapaz de seguir o celibato completo. Podemos fazer uma exceção à regra geral, no espírito de encorajar bhakti, conforme citado acima, ou devemos dar mais importância aos rígidos códigos do dharma comum?

Eu concordo com Amara que uma sociedade verdadeiramente espiritual deve constantemente buscar um equilíbrio entre os estritos códigos do varnasrama e as necessidades espirituais práticas dos devotos sinceros. Não resta dúvidas de que um número significante de almas, cuja orientação sexual externa é homossexual, sinceramente buscam ser conscientes de Krishna. É totalmente natural e previsível que a maioria de tais devotos, bem como a maior parte dos devotos heterossexuais, não estarão aptos a manter o celibato pela vida toda.

Minha visão sobre esse assunto é a seguinte:

Como regra geral, nós devemos apreciar os devotos em termos da sinceridade e diligência de suas tentativas espirituais, dadas as circunstâncias psico-físicas de suas vidas. Em outras palavras, em qualquer condição de vida, se um devoto sinceramente se esforça para agradar a Krishna, esse devoto deve ser admirado.

2. É o dever de qualquer sociedade reconhecer, e de portanto encorajar, o comportamento admirável de seus membros. A monogamia, entre os devotos de qualquer orientação, é um feito admirável no contexto da promiscuidade da sociedade dos dias de hoje, e portanto deveria ser apreciada e encorajada.

3. Dada a necessidade de equilibrar estrito varnasrama com espiritualidade liberal, eu acredito que a ISKCON deveria reconhecer e encorajar a monogamia entre os seus membros, seja qual for a sua orientação, e que tal reconhecimento e encorajamento deveria tomar as formas apropriadas para alcançar a ambos propósitos: a manutenção do varnasrama e o encorajamento da sinceridade espiritual.

4. Eu não estou convencido de que casamento seja a melhor forma em todos os casos, mas algum reconhecimento e apreciação séria, formal e pública da monogamia gay é, no meu ponto de vista, algo no melhor interesse da ISKCON e de seus membros.

E também:

http://www.chakra.org/announcements/persFeb01_09.html

Hridayananda Dasa Goswami abençoa a casal de homens homossexuais

por Stan Harris

postado em 1º Fevereiro de 2009

Em 8 de Novembro de 2008, Joshua Einhorn e Stanley Harris se comprometeram a um relacionamento amoroso em uma cerimônia de bençãos no distrito de Chatsworth em Los Angeles. Cem membros da família, amigos e devotos da ISKCON celebraram.

S.S. Hridayananda Dasa Goswami conferiu suas bençãos, via e-mail:

Nosso amor um pelo outro é um reflexo do amor de Deus por nós. Portanto, a perfeição de cada relacionamento é ver a Deus um no outro.

Que Deus abençõe a Joshua Norman Einhorn e Stanley Earl Harris, ambos almas espirituais devotadas, enquanto eles afirmam um compromisso um com o outro no espírito do amor de Deus por eles. Que Joshua e Stanley sempre agradem a Deus através do verdadeiro amor um pelo outro.

Através de tal amor espiritual verdadeiro, que ele sempre seja, um para o outro, uma fonte de inspiração espiritual e de felicidade. Que o seu relacionamento os leve, com paciência e firmeza, de volta à nossa verdadeira casa no mundo espiritual, onde todos os relacionamentos se tornam eternos e perfeitos.”

Maharaj, somente quero deixar claro, há uma definição de “monogamia” nos dicionários americanos Oxford, dado nos computadores Apple Macintosh:

monogamia: substantivo.

1. A prática ou estado de estar casado com uma pessoa de cada vez.

2. A prática ou estado de ter um relacionamento sexual com apenas um parceiro.

3. Zoologia. O hábito de ter apenas um parceiro de cada vez.

Então, parece que há uma clara contradição entre o que você escreveu para mim:

Eu repetidas vezes esclareci que eu não sou a favor do casamento gay.

E o ponto nº 4 em sua postagem de 19 de Dezembro de 2004 em Chakra.org, que foi colocada integralmente acima:

4. Eu não estou convencido de que casamento seja a melhor forma em todos os casos, mas algum reconhecimento e apreciação séria, formal e pública da monogamia gay é, no meu ponto de vista, algo no melhor interesse da ISKCON e de seus membros.

E da sua afirmação em “benção” a um “casamento gay”:

Que Deus abençõe a Joshua Norman Einhorn e Stanley Earl Harris, ambos almas espirituais devotadas, enquanto eles afirmam um compromisso um com o outro no espírito do amor de Deus por eles. Que Joshua e Stanley sempre agradem a Deus através do verdadeiro amor um pelo outro.

Essas afirmações que são aparentemente contraditórias criam uma dicotomia clara, conforme escrevi anteriormente. Maharaj, honestamente, eu gostaria de aceitar aquilo que você me escreveu nesta sua última resposta.

Mas para que eu possa fazê-lo, eu, e uma porção dos seus irmãos e irmãs espirituais, que não temos desejo de ofendê-lo ( na realidade lhe temos uma tonelada de respeito e consideração pelos grandes serviços que você dedicou ao movimento de Prabhupada durante estes últimos 40 anos ), precisamos escutar de você uma nota clara de repúdio aos seus comentários em que você claramente aprova a “monogamia gay”.

Eu me ofereci para discutir estes pontos e respeito àqueles que discordam de mim. Mas eu vejo que meus pontos são ignorados, ao invés de debatidos, e eu sou novamente acusado de todas as mesmas ofensas, como se eu não tivesse dito nada a mais. Por isso eu já perdi as esperanças de entrar em um debate filosófico justo com meus irmãos espirituais.

Maharaj, parece para mim que o enigma que estamos enfrentando aqui tem uma solução clara.

Desde que lhe escrevi a carta à qual você tão gentilmente respondeu, eu tenho tido muito encorajamento pelo meu ponto de vista de meus irmãos e irmãs espirituais a respeito do seguinte ponto: parece que esse assunto é “preto no branco”.

Suas afirmações, citadas acima, claramente aprovam casamento gay, e portanto, aprovam ser gay.

Você diz que isso não é o caso. Então, você poderia retirar essas afirmações do domínio público?

Se você puder, então eu tenho certeza de que nós poderemos continuar encorajando devotos gays a “desistirem de ser gay”, conforme Prabhupada claramente instruiu a Lilatananda Das, em sua carta a ele, escrita há tantos anos atrás, a qual está copiada abaixo!

No momento presente, minha inspiração é pregar as glórias de Krishna e focar minha atenção pessoal no cantar dos Santos Nomes. Eu não estou ocupado em nenhuma campanha ou cruzada para forçar nenhuma agenda que não seja o puro cantar dos nomes de Krishna.

Com meus melhores cumprimentos,

Seu servo,

Hridayananda Dasa Goswami

Uma nota de repúdio do que muitos, muitos devotos ( e eu certamente não estou sozinho nisso ) veem como sendo uma aprovação que Prabhupada claramente não teria feito nos ajudaria a aceitar este último parágrafo que você tão belamente escreveu.

Espero que esta carta o encontre bem.

das,

Basu Ghosh Das

Carta de Srila Prabhupada a Lalitananda Dasa

Meu querido Lalitananda dasa,

Por favor, aceite minhas bênçãos. Eu recebi devidamente sua carta datada de 13 de Maio de 1975 e eu notei o seu conteúdo. Eu estou muito triste de que você tenha adotado o homossexualismo. Isso não ajudará você a avançar em sua tentativa pela vida espiritual. De fato, isso apenas impedirá o seu avanço. Eu não sei por que você adotou tais atividades abomináveis. O que eu posso dizer? De qualquer modo, tente render qualquer serviço que você possa para Krishna. Muito embora você esteja numa condição muito degradada, Krishna, ficando satisfeito com a sua atitude de serviço, pode retirar você desse estado caído. Você deve parar este homossexualismo imediatamente. Isso é sexo ilícito, de outra forma, suas chances de avançar na vida espiritual são nulas. Mostre a Krishna que você é sério, se você é.

Eu espero que esta encontre você em boa saúde.

Seu eterno bem querente,

A.C. Bhaktivedhanta Swami

Entrevista de Hridayananda Maharaj ao canal do YouTube “TheFallenState” no final de Fevereiro de 2007

Entrevistador: Os Hare Krishnas dizem não ao aborto?

HDG: Sim.

Entrevistador: E que tal casamento entre pessoas do mesmo sexo, vocês apoiam isso?

HDG: Hã… eu não tenho verdadeiramente uma posição sobre isso. Hã… No que diz respeito ao que eu penso, eu acredito que algumas pessoas por sua constituição serão homossexuais, a ciência parece mostrar isso… Eu acredito que em última análise o objetivo para todos é ir além do apego ao corpo, e ao invés disso eles deveriam estar apegados a Deus e a alma. E então eu penso que seja qual for a orientação de alguém, sejam quais forem os desejos materiais de alguém, é um processo gradual ir além desses desejos.

Entrevistador: Quer dizer então que eles pudem superar isso, de ser um homossexual?

HDG: Da mesma forma que um heterossexual pode superar ser um heterossexual. Eu acho que, eu acho que, a monogamia é um antídoto à promiscuidade.

Entrevistador: Então você acredita que eles pudem superar isso, de ser um homossexual?

HDG: Da mesma maneira que um heterossexual pode superar ser um homossexual.

Entrevistador: Eu vou perguntar isso de novo, porque eu quero que você responda a minha pergunta. Você acredita que um homem ou uma mulher podem superar ser um homossexual?

HDG: Eu acho que antes de mais nada nós precisamos de falar sobre sexualidade. Eu acho que sexualidade…

Entrevistador: Você está vendo, você não está respondendo minha pergunta, não é mesmo?

HDG: Eu não acho que você esteja fazendo boas perguntas. Eu acho que, eu acho que… a homossexualidade é uma subcategoria da sexualidade. Então eu acho que o que é verdade sobre sexualidade também será verdade sobre as suas subcategorias. Então o que é verdade sobre alguma árvore frutífera, também pode ser verdade sobre diferentes árvores frutíferas.

Entrevistador: Deixe-me perguntar. Você acredita que…

HDG: Veja, o que eu vou fazer é responder à pergunta que você deveria ter perguntado. E essa pergunta é: se a escolha verdadeira de alguém, se a escolha verdadeira de alguém enquanto ser humano é ser, como um homossexual, promíscuo ou monógamo, eu acredito que a monogamia é um passo adiante em relação à promiscuidade, e que gradualmente, todos, heterossexuais ou homossexuais, tem que se trabalhar para se desapegar da identificação com o corpo, porque se você se compreende como sendo perfeitamente uma alma pura, você não estará envolvido com sexualidade, seja hetero ou homo, você estará envolvido com sua própria alma e com seu próprio amor por Deus.

Entrevistador: Quer dizer então que eles podem superar, caso eles adotem esse caminho do qual você está falando.

HDG: Sim, eu acho que tanto o homossexual quanto o heterossexual precisam de gradualmente compreender…

Entrevistador: Eu não te perguntei sobre o heterossexual.

HDG: Sim, mas…

Entrevistador: Você querendo sair pela tangente, como um covarde. Você tem que admitir isso. Eu não te perguntei isso.

HDG: E você diz ser um modelo de virtude? “Sair pela tangente como um covarde”? “Covarde, julgador, pecaminoso, nervoso”… você é… eu espero que algum dia eu possa ser tão humilde quanto você.

Entrevistador: Você não está respondendo minhas perguntas. Você está rodando em volta das minhas perguntas.

HDG: Não, porque você não faz perguntas muito boas.

Entrevistador: É por isso que você fica dando voltas em torno delas?

HDG: Eu tento lhe ajudar a fazer boas perguntas.

Entrevistador: Você se divertiu?

HDG: Claro que sim.

( Fim da entrevista ).

Pregação de Danavir Goswami

Em seu ensaio chamado Chaste Harlots ( disponível em http://krishna.org/chaste-harlots/ ), escrito diretamente em contestação à proposta de Hridayananda Dasa Goswami, Danavir Goswami afirma:

Quem está interessado em progredir espiritualmente deve compreender que a homossexualidade deve ser abandonada o mais cedo possível, para que o progresso espiritual não seja bloqueado. Se alguém quer algo barato, há vários supostos gurus e sociedades espirituais que irão enganar com alegria a seus estudantes, oferecendo-lhes a Lua em troca de dinheiro. Mas nem tudo que brilha é ouro.

Não há necessidade, nem existe sanção, que pessoas com inclinação devocional inventem ou que seja inventado para elas, um programa matrimonial complementar para gays ou para gays monógamos. Isso irá criar utpatayaiva ( perturbação ) na sociedade. Se ocupar em sexo ilícito com uma pessoa ao invés de várias não é a graça salvadora; ao invés disso, a verdadeira graça salvadora é o quanto uma pessoa se ocupa em atividades devocionais com sinceridade. Ela deve ser sincera, admitindo suas fraquezas e utilizando todas suas energias para melhorar. Pessoas gays são bem-vindas a visitar e participar de centros da ISKCON e certamente Krishna irá ajudá-los caso eles sejam sinceros.

É o nosso dever avisar aos desavisados de que a pregação de Hridayananda Maharaj sobre este assunto não é a única existente na ISKCON, e que devido à ausência de uma decisão oficial de seu corpo governamental, pregações contraditórias sobre ele estão, no presente, transcorrendo em paralelo dentro desta Sociedade.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s